9.10.15

ponte de pedra , porto alegre

Foto : Marisa Denovaro




Ponte de Pedra, também chamada de "Ponte dos Açores", é um monumento histórico da cidade de Porto Alegre. Está situada no chamado Largo dos Açorianos, que abriga também outro conhecido monumento da cidade, oMonumento aos Açorianos.
ponte de pedra substituiu uma primitiva ponte de madeira erguida quase no mesmo local por volta de 1825. Várias vezes reconstruída em razão dos estragos causados pelas enchentes e pela deterioração natural da madeira, foi fechada ao trânsito em março de 1848, altura em que já estavam quase finalizadas as obras para uma nova ponte, mandada edificar já em 1843, antes do fim da turbulenta Guerra dos Farrapos, pelo Duque de Caxias, então presidente da província.
A nova obra deveria ser mais durável e, por isso, foi construída de alvenaria de pedra. O construtor designado foi João Batista Soares da Silveira e Sousa, que utilizou escravos como mão de obra, num custo de 980 contos. A obra foi aberta ao público em 1848, ainda inacabada, e só foi concluída em 1854. A ponte cruzava um dos braços doarroio Dilúvio, que se bifurcava onde hoje está o Colégio Estadual Protásio Alves, e representava a única ligação entre as o Arraial (pequeno vilarejo) do Menino Deus e oCentro Histórico de Porto Alegre.
Em 1937, o arroio começou a ser retificado, e a ponte perdeu a sua função, mas sobreviveu como memória daqueles tempos. Transformada em monumento urbano e testemunha do passado, o monumento de pedra foi tombado pelo município em 1979 e ganhou um espelho d'água sob os seus três pilares em arco. Apesar disso, o nível da água foi estabelecido bastante alto, acima dos seus pilares que usualmente ficavam à vista, de modo que a ponte ficou com o aspecto de estar sob uma condição de enchente. Outro problema da Ponte de Pedra são as ações de vandalismo.
A Ponte de Pedra já foi pintada pelo artista Luís Maristany de Trias (1885-1964), e a tela a óleo se encontra exposta no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS).
Fonte : https://pt.wikipedia.org/wiki/Ponte_de_Pedra

1.9.15

Viaduto da Conceição , Porto Alegre

Foto : Jeferson Gonçalves
https://pt.foursquare.com/v/viaduto-da-conceição/4d5d987a1ddd6dcb1f7e1cd8
https://pt.wikipedia.org/wiki/Túnel_da_Conceição

11.8.15

Porto Alegre - A mal entendida (texto de Luis Fernando Veríssimo)

Porto Alegre vive à beira de alguns mal-entendidos.Para começar, vive à beira de um rio que não é rio. O Guaíba é um estuário, ou como quer que se chame essa espécie de ante-sala onde cinco rios se reúnem para entrar juntos na Lagoa dos Patos. Mas todos o chamam de Rio Guaíba.
A rua principal da cidade não existe. Você rodará toda a cidade à procura da Rua da Praia e não a encontrará. Usando a lógica - o que é sempre arriscado, em Porto Alegre - procurará uma rua que margeia o rio (que não é rio), ou que comece ou termine numa praia. Se dará mal. Não há praias no centro da cidade, e nenhuma rua ao longo do falso rio se chama "da praia". Finalmente, desconfiado de que a rua principal só pode ser aquela que concentra a maior parte do tráfego de pedestres no centro, você consultará a placa e lerá "Rua dos Andradas". Mas ninguém a chama de Rua dosAndradas, chamam pelo nome antigo, Rua da Praia.
Por que da praia? Ninguém sabe. Só se sabe que ela vai da Ponta do Gasômetro, que não é mais Gasômetro, até a Praça Dom Feliciano, que todos chamam Praça de Santa Casa, passando pela Praça da Alfândega, que já foi praça Senador Florêncio, mas voltou a ser Praça da Alfândega porque ficava na frente da Alfândega - que não existe mais.
Confuso, você talvez entre no prédio da prefeitura para pedir satisfações, só para descobrir que entrou no prédio errado. Existe outra prefeitura, a nova, atrás da velha, que por sua vez tem na frente uma praça chamada não Porto Alegre mas Montevidéu.
Na prefeitura certa talvez lhe digam para ir se queixar ao bispo, tendo que, para isto, subir a Rua da Ladeira até a Praça da Matriz, onde fica a Catedral. Desista. Você não encontrará a Rua da Ladeira, que hoje se chama (só ela se chama, porque ninguém mais a chama assim) General Câmara, e a Praça da Matriz na verdade é a Praça Marechal Deodoro, embora poucos porto-alegrenses saibam disto.
A única vantagem de toda esta confusão é que você precisará de muito tempo para ir decifrando Porto Alegre, ao contrário do que acontece em cidades previsíveis e sem graça como Paris, Roma, etc., onde tudo tem o mesmo nome há séculos - e ir degustando-a aos poucos. Acho que não se decepcionará.
Vencidos os primeiros mal-entendidos e localizada, por exemplo, a “Praça da Matriz”, você pode fazer uma visita ao Theatro São Pedro, um dos orgulhos da cidade com seu prédio em estilo barroco português e sua pequena platéia em forma de ferradura. Há quem diga que é o teatro mais bonito do Brasil. Certamente é o mais bem cuidado. Inaugurado em 1858, esteve fechado por uns tempos e foi magnificamente restaurado para sua reinauguração há poucos anos. Da sacada do seu primeiro andar, onde ficam o foyer e o café, você pode olhar a Praça de cima. Se tiver sorte, os jacarandás estarão florindo.
Do outro lado da praça estão a Catedral e o palácio do governo estadual, ou Palácio Piratini, esse no estilo neoclássico francês. Duas coisas surpreendem alguns visitantes em Porto Alegre pela quantidade insuspeitada: a arquitetura neoclássica e os jacarandás.
Saindo do Theatro São Pedro você pode aproveitar para dar uma olhada na Biblioteca Pública (outro exemplo do estilo neoclássico), e principalmente uma espiada no seu Salão Mourisco, ricamente decorado.
Desça a Rua da Ladeira. Está bem, a General Câmara. Você chegará ao chamado Largo dos Medeiros e a outro mal-entendido municipal. O largo tem este nome extra-oficial em homenagem a um café que tinha ali e não tem mais. Não, não se chamava Café Medeiros, os donos é que se chamavam assim. Não importa, vire à esquerda e siga pela Rua da Praia - dos Andradas! dos Andradas! - passando a Praça da Alfândega, onde todas as primaveras se realiza a famosa Feira do Livro de Porto Alegre.
Depois de uma curta caminhada você chegará ao antigo Hotel Majestic, hoje belissimamente transformado na Casa de Cultura Mario Quintana, com teatros, cinemas e salas para cursos e exposições. Vale a pena entrar para ver o que foi feito do velho hotel e ir até o Café Concerto na sua parte superior, ou então deixar para voltar lá na hora do pôr-do-sol.
Um pouco mais adiante na mesma Rua da Praia, à sua esquerda, você verá a igreja Nossa Senhora das Dores, com uma grande escadaria na frente. A fachada e a escadaria são iluminadas à noite, é uma das bonitas visões da cidade.
Volte pela mesma Rua da Praia em direção ao centro. Ao chegar à Avenida Borges de Medeiros, pegue a esquerda e desça até o Mercado Público, perto da prefeitura e da já citada Praça Montevidéu, onde está a graciosa Fonte de Talavera de la Reina, um presente da comunidade espanhola à cidade.
Passeie dentro do mercado e veja as suas "bancas" especializadas, como a que vende vários tipos diferentes de erva para o chimarrão. Os morangos com nata batida da Banca 43 são famosos.
O pôr-do-sol não pode ser reivindicado como atração turística de Porto Alegre, já que tecnicamente ele acontece fora dos limites estritos do município, mas saber se colocar para assisti-lo é uma das artes da cidade. O novo Café Concerto, na cúpula do antigo Hotel Majestic, com uma vista desimpedida do “rio” e do poente, já tem seus adeptos, mas o ponto tradicional dos crepusculistas é o mirante do Morro de Santa Teresa.
Você precisará de transporte para ir do centro até lá e se for de táxi, para evitar outro mal-entendido, diga ao motorista que quer ir ao “Morro da Televisão”. Do mesmo mirante você terá a melhor vista da cidade, cuja topografia já foi comparada à de São Francisco na Califórnia. E verá, lá embaixo, o imponente estádio do grande Sport Club Internacional.
Outro bom lugar para se olhar a cidade e o pôr-do-sol é o Morro do Turista. Para chegar lá você precisa pedir para ser levado ao Morro da Polícia. É o mesmo morro.
Aos domingos pela manhã, boa parte da população de Porto Alegre vai ao “Brique da Redenção”, assim chamado porque fica no Parque Farroupilha. Calma. O Parque Farroupilha, um dos maiores parques urbanos do mundo, é conhecido pelos porto-alegrenses como Parque da Redenção. Ou, sucintamente, “a Redenção”. “Brique”, na língua gaúcha, é o encurtamento de “briqueabraque” e é uma feira de antigüidades em que tudo, até revista da semana passada, é considerado antigüidade. Mas em meio às porcarias assumidas, há louças e pratarias, livros valiosos, selos e moedas e principalmente muita gente vendendo, comprando ou só passeando.
O parque se chama Farroupilha em homenagem à revolução do mesmo nome que os gaúchos fizeram em 1835 contra o império, proclamando a República Rio-grandense. Mas, embora todo mundo aqui hoje comemore a insurreição, Porto Alegre manteve-se fiel ao governo central e por isto mereceu o título de “leal e valorosa cidade” conferido pelo imperador Pedro II, e que está no seu brasão.
Outro mal-entendido.

16.7.15

23.6.15

alice ruiz

Alice Ruiz (Curitiba, 22 de janeiro de 1946) é uma poeta e tradutora brasileira.
Começou a escrever na adolescência, mas durante muitos anos divulgou seus poemas apenas em revistas e jornais. Publicou seu primeiro livro aos 34 anos de idade. Foi casada com o também poeta Paulo Leminski, com quem teve três filhos: Miguel Ângelo Leminski, Áurea Alice Leminski e Estrela Ruiz Leminski.
 https://pt.wikipedia.org/wiki/Alice_Ruiz

19.5.15

Casarão dos Bica , Porto Alegre

Casarão dos Bica, na rua Santo Inacio,no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre/RS. Foto: Jefferson Bernardes/Agência Preview

13.5.15

Praça da Alfândega e Rua da Praia , Porto Alegre

Foto : Alisson Fernandes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pra%C3%A7a_da_Alf%C3%A2ndega

7.5.15

Nietzsche

Friedrich Wilhelm Nietzsche (Röcken15 de Outubro de 1844 — Weimar25 de Agosto de 1900) foi um filólogofilósofocrítico culturalpoeta e compositor alemão do século XIX.1 Ele escreveu vários textos críticos sobre a religião, a moral, a cultura contemporânea, filosofia e ciência, exibindo uma predileção por metáforaironia e aforismo...
http://pt.wikipedia.org/wiki/Friedrich_Nietzsche

28.4.15

Rua da República , Porto Alegre

Atualmente, o bairro se caracteriza pela grande quantidade de bares e é conhecido por ser o local preferido dos boêmios da cidade2 3 , principalmente nas ruas General Lima e Silva, República e João Alfredo.http://pt.wikipedia.org/wiki/Cidade_Baixa_%28Porto_Alegre%29
Foto :Jussara Aymone

15.4.15

mas que barbaridade

Para os gauchos, barbaridade é também uma expressão que quer dizer "não é possível" ; "puxa vida", "que coisa absurda!".
http://www.dicionarioinformal.com.br/barbaridade/

7.4.15

Parque da Redenção , Porto Alegre

Foto : Carlos Paim

Doado à cidade em 24 de outubro de 1807 pelo governador Paulo José da Silva Gama, o local foi inicialmente chamado de Potreiro da Várzea ou Campos da Várzea do Portão, passando mais tarde a denominar-se Campos do Bom Fim, devido à proximidade da Igreja do Nosso Senhor do Bom Fim (1867) e das festas que ali se realizavam. 

Em 9 de setembro de 1884, a Câmara propôs que o parque passasse a ser denominado de Campos de Redenção, em homenagem à libertação dos escravos do terceiro distrito da Capital. O primeiro ajardinamento ocorreu em 1901, quando já existiam na área do parque a Escola Militar (1872) e a Escola de Engenharia (1896). 

Com a Exposição Comemorativa do Centenário da Revolução Farroupilha, em 1935, o parque tornou-se Parque Farroupilha, pois o evento transitório efetivou a ocupação total deste espaço. No dia 19 de setembro de 1935, Campos da Redenção recebeu a denominação de Parque Farroupilha, por meio do Decreto Municipal 307/3.

Os recantos Jardim Alpino, Jardim Europeu e Jardim Oriental foram implantados em 1941. Em 1978 foi criado o Brique da Redenção e em 1997 efetuado o tombamento do parque como patrimônio histórico, cultural, natural e paisagístico de Porto Alegre.

No local, existem várias opções de lazer, como o parque de diversões, os passeios de trenzinho e pedalinhos, o Mercado do Bom Fim (onde há lojas de conveniências e lancherias), o Café do Lago e a Feira Ecológica (aos sábados pela manhã).

Além de  diversos recantos, como OrquidárioRecanto Alpino, Recanto Oriental,  Recanto Europeu, Solar, Fonte Luminosa, Espelho d’água e Auditório Araújo Viana, o parque conta ainda com 38 monumentos, com destaque para o Monumento ao Expedicionário.

Há cerca de 10.000 árvores, de espécies como chal-chal, pitangueira, paineira, tipuana, cocão, palmeira da califórnia, grinalda de noiva, jacarandá, ipê-roxo e cipreste.
Endereço: avenida João Pessoa, s/nº
Telefone: (51) 3289-8304 e 3289-8305
Área: 37,51 hectares
Inaugurado em: 19 de setembro de 1935
http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smam/default.php?p_secao=201

2.4.15

Travessa dos Venezianos

http://ong.portoweb.com.br/cidadebaixa/default.php?reg=7&p_secao=9&PHPSESSID=2051826b2c9b530f8d5283d729152e6e

Foto : Maria Rosa Junges

19.3.15

Porto Alegre volta a ter cinema de rua com reabertura do Capitólio

Cinemateca conta com sala de exibições para 164 lugares, além de cafeteria, biblioteca e espaços para exposições.


Após longo processo de restauro que teve início em 2004, a Cinemateca Capitólio reabre ao público em 27 de março, trazendo de volta à capital gaúcha a tradição dos grandes cinemas de rua. Parte da programação do aniversário de 243 anos de Porto Alegre, a cerimônia oficial de inauguração será às 10h30. A partir das 19h, o espaço estará aberto ao público, que poderá visitar o prédio e assistir à sessão inaugural. Na programação da noite de reestreia estão ‘Início do Fim’, curta-metragem de Gustavo Spolidoro, filmado nas ruínas do edifício; e ‘Vento Norte’, de Salomão Scliar, primeiro longa-metragem de ficção sonoro realizado no Estado, cuja cópia para a sessão foi cedida pelo Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa. No fim de semana, 28 e 29 de março, a Cinemateca Capitólio também estará aberta ao público, com exibições gratuitas de três clássicos do cinema: ‘A Doce Vida’, de Federico Fellini; ‘O Leopardo’, de Luchino Visconti; e ‘Alphaville’, de Jean-Luc Godard.
Mais do que uma simples sala de exibição, a Cinemateca Capitólio será um espaço cultural exclusivamente dedicado ao setor audiovisual. Contará com uma sala de cinema stadium com 164 lugares, biblioteca, sala multimídia, cafeteria, salas de pesquisa, espaço para exposições e uma área inteira dedicada à preservação de filmes, roteiros, fotos, livros, cartazes e outros itens relacionados à memória do cinema e do audiovisual. O Capitólio também torna-se a sede oficial do Programa de Alfabetização Audiovisual, projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura e pela Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul e financiamento do Ministério da Educação. Além de desenvolver seus projetos habituais, o Programa de Alfabetização Audiovisual passa a responder pela ação educativa da Cinemateca Capitólio.
Além de recuperar a vocação original do espaço como sala de exibição, a restauração também teve o objetivo de transformar o prédio em um local destinado à preservação da memória audiovisual do Rio Grande do Sul. A obra foi financiada pela Petrobrás, pelo BNDES e pelo Ministério da Cultura, e também contou com recursos da Prefeitura de Porto Alegre, proprietária do prédio.
O prédio do antigo Cine-Theatro Capitólio foi construído em 1928 e adquirido pela prefeitura de Porto Alegre em 1994. Por sua relevância arquitetônica e cultural, foi declarado Patrimônio Histórico do Município de Porto Alegre (em 1995) e do Estado do Rio Grande do Sul (em 2007).
A ideia da criação da Cinemateca Capitólio nasceu em 2001, a partir de uma mobilização inicial da comunidade cinematográfica, representada pela Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos (APTC-RS).
Contatos:
Cinemateca Capitólio
Rua Demétrio Ribeiro, 1085
Telefones:
3289-7458 (Administração)
3289-7453 (Bilheteria)
3289-7463 (Centro de Documentação e Memória/Biblioteca)
3289-7450 (Portaria)
3289-7460 (Programa de Alfabetização Audiovisual)
http://www.coletiva.net/noticias/2015/03/porto-alegre-volta-a-ter-cinema-de-rua-com-reabertura-do-capitolio/

18.3.15

Rua João Alfredo , Porto Alegre

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cidade_Baixa_%28Porto_Alegre%29
Foto : Rene Hass

13.3.15

Rua do Arvoredo

 Rua Fernando Machado, antiga rua do Arvoredo.Essa rua foi cenário de uma série de crimes que entrou para história como “os crimes da rua do Arvoredo” em 1864. A jovem Catarina Palsen, casada com o açougueiro José Ramos, atraia homens para o açougue do marido. José Ramos, após assassiná-los, fazia lingüiça de suas carnes, que era consumida pela sociedade porto-alegrense. Tal episódio já foi retratado na literatura por Luiz Antônio de Assis Brasil no romance “Cães da Província” e foi objeto.....
http://pt.wikipedia.org/wiki/Crimes_da_rua_do_arvoredo

26.2.15

Vila Assunção , Porto Alegre

Vila Assunção é um bairro nobre da zona sul da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Foi criado pela Lei 2022 de 7 de dezembro de 1959.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vila_Assun%C3%A7%C3%A3o